terça-feira, 28 de março de 2017

As armadilhas do MEI - Microempreendedor Individual



Em tempos de ataques aos direitos trabalhistas como aconteceu recentemente no caso da aprovação no Congresso da terceirização como atividade fim, o trabalhador tenta sobreviver ao bombardeio neoliberal contra seus direitos consagrados pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) .

O fato é que na atual legislação já existem brechas que enfraquecem o trabalhador na relação entre patrão e empregado em tempos de precarização. Há alguns anos  patrões  já adotam essa pratica configurando uma relação de prestação de serviços entre empresa e empregado(a), maquiada como uma relação entre empresas. O  Microempreendedor Individual (MEI) é um grande exemplo disso.

“O MEI é a preparação da flexibilização travestida de garantia de direitos para "empreendedores”. Tem por detrás um discurso sedutor de que você não precisa descontar IR, INSS, etc. A parte boa é que como profissional liberal, já que sou jornalista, tenho a possibilidade de realizar “freelas” (serviços extras) para prestação de serviço por produção ou evento, por exemplo, com a possibilidade de emitir nota fiscal sem muita burocracia. Então, somente nesse aspecto apresenta um lado interessante para quem vive de serviços contratados como eu e outros profissionais de comunicação” – diz Pedro Martins, jornalista e cadastrado no programa.

domingo, 29 de janeiro de 2017

Quando a publicidade se apropria da onda conservadora

Em tempos de recrudescimento do conservadorismo, que pode ser exemplificado pelo golpe 2016 no Brasil e ascensão de Trump à presidência dos EUA, a publicidade como não poderia deixar de ser acaba absorvendo esse contexto. Isso já pode ser notado em algumas peças produzidas e atualmente veiculadas na grande mídia, e o exemplo disso fica na utilização de motes que denotam essa ideia, e o conceito de família expressa bem essa observação.




Podemos citar o laboratório farmacêutico Neoquímica, especializado na produção de genéricos que usa em suas campanhas publicitárias e institucionais a frase: “Neoquimica, o remédio da família brasileira”, tendo como garotos-propaganda personalidades públicas como o ex jogador Ronaldo e o ator Marcio Garcia. O próprio Ronaldo já havia protagonizado uma peça de vídeo para o Supermercado Extra para a Copa de 2014. Uma observação a ser feita sobre Ronaldo é que mesmo esteve envolvido em escândalo sexual em 2007, mas que apesar disso a sua imagem ainda é relacionada como um “bom sujeito e chefe de família”.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...