sábado, 26 de novembro de 2016

Fidel e a história

Fidel discursa na segunda assembleia nacional do povo de Cuba, na Praça da Revolução em 4 de fevereiro de 1962 - Havana. Foto: CubaHora
Nenhuma novidade nas falas de Obama e Trump sobre a morte de Fidel. Nada além de uma retórica arrogante que tenta minimizar a história de Fidel Castro. Que respeito os EUA tem por outros países e direitos humanos?

O quanto matam diretamente e indiretamente no mundo com suas guerras? O quanto suas corporações surrupiam recursos de outros países como fazem agora com o Brasil?

Obama e Trump representam morte, guerras e exploração. São bonecos de um império que foi dignamente enfrentado pela Revolução Cubana.

Só esse fato já dá a Fidel o protagonismo inquestionável de seu papel, indica que ele não precisa ser mais julgado pela história. Ele já é a história. Quem precisa prestar contas com a história são aqueles que semeiam guerras, muros e criam atrocidades como o Estado Islâmico.


O povo americano, assim como o brasileiro, não merece uma elite e governo que só se compromete com os grandes interesses corporativos que bancam a fome, analfabetismo e violência.


É esse mesmo povo que vai julgar esse sistema, junto com Obama e Trump. O espirito do tempo dirá e a história os julgará. 

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

E 'Fatinha' pediu arrego


E Fátima Bernardes teve que pedir “arrego” depois da infeliz enquete da última quinta-feira (17): “Quem salvar primeiro? O traficante em estado grave ou o policial levemente ferido?”. 

De imediato, a pergunta, acabou virando uma histeria virtual dos defensores do “bandido bom é bandido morto” de grandes proporções nas redes sociais com a hastag #EuEscolhoSalvarOPolicial.

Talvez pela pressão de ter tido os filhos citados em uma postagem de policiais militares, a jornalista acabou pedindo desculpas no programa ‘Encontro’ da TV Globo, na manhã desta terça-feira (22).  Ao lado doporta-voz da Polícia Militar do Rio de Janeiro, major Ivan Blaz, a apresentadora afirmou que ela própria e o programa estão sempre do lado da lei e soltou: “quero deixar claro que entre o traficante e o policial, eu escolheria o policial”.
Reprodução internet


Ter os filhos ameaçados e ainda ser chamada de defensora de marginais como fazem "os marginais defensores dos direitos humanos", segundo disse o parlamentar defensor dos "humanos direitos". Pergunto se você no lugar dela não teria o mesmo medo e pediria desculpas? Enfim, amigos, bem vindos à ditadura.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...