quinta-feira, 13 de março de 2008

Quem não nunca pecou, que atire a primeira pedra

Meus caros, a moral é um conceito que ganha uma leitura a partir da cultura e da forma de quem a cultiva e pratica. A opinião pública americana em especial do estado de Nova York ficou perplexa com a renúncia do governador Eliot Spitzer, acusado de envolvimento, como cliente de uma rede de prostituição. O ex-governador fez o anúncio ao lado da mulher que demonstrou publicamente, apoio ao marido infiel. Escândalos sexuais envolvendo políticos e autoridades geram um certo frenesi na opinião pública americana. Casos de adultério, homossexualismo e luxúria fazem parte do receituário de má conduta política na terra do ‘Tio Sam’. Os democratas parecem ser especialistas neste tipo de caso, Spitzer faz parte de suas fileiras. O partido já teve personagens históricos envolvidos em diversos escândalos que abalaram a ‘moral e os bons costumes’ americanos.O senador Edward Kennedy pode ser considerado uns dos mais prejudicados, pois se meteu em um caso rumoroso com uma secretária, que lhe tirou uma eleição para a Casa Branca. Mais tarde, 28 anos depois, Bill Clinton sobreviveu às perseguições da mídia e do procurador independente, Kenneth Star. Nos EUA, o procurador-geral na jurisdição estadual é eleito pelo povo por meio de uma eleição. Função que Eliot Spitzer exerceu quando era um agente implacável no combate a corrupção, crimes financeiros e defesa do estado. Em 2002, o então procurador desmantelou um esquema fraudulento de U$ 1,4 bilhão, com isso, conquistou notoriedade e o governo do estado de Nova York nas eleições de 2006.

Aqui na “Terra Brasilis”, adultério ou vida imoral de político não tem muita repercussão. São vários casos que atingiram até presidentes, mas que não ganharam qualquer tipo de repercussão que exigisse uma renúncia de mandato, a não ser o caso das fotos do deputado Barreto Pinto de cueca e cartola, tiradas por Jean Mazon, para a Revista O Cruzeiro no ano de 1946.

Atualmente no Brasil, político tarado ganha voto e reconhecimento, vide Paulo Maluf que além de arregaçar os cofres públicos fez uma declaração que entrou nos ‘anais’: “Estupra, mas não mata”, afirmou durante a campanha presidencial de 1989, quando fazia referência aos homicídios ocorridos depois de estupros. Maluf pedia pena mais rigorosa para este tipo de crime.

Não devemos esquecer que recentemente, um galante senador alagoano fisgou uma linda jornalista de Brasília. O caso como todos sabem, ganhou enorme repercussão, pois envolvia verbas repassadas de um volumoso esquema de corrupção.Agora, o antes incorruptível e caçador de fraudes, Eliot Spitzer, vai ficar conhecido como o ‘Cliente 9’, nome de identificação no esquema de prostituição descoberto nas escutas telefônicas da investigação. Resta saber se Spitzer teria mais sorte no Brasil....

P.S Asheley Youmans a garota dos sonhos de Eliot Spitzer também faz um 'bicos' como cantora de hip hop



Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...