terça-feira, 9 de setembro de 2008

As contradições da mídia golpista


Meus caros, a mídia golpista e neoliberal vive realmente de contradições. Primeiro pega no pé do fanfarrão número um da América Latina, o nosso querido e simpático Hugo Cháves. Depois continua com essa marola de escuta telefônica envolvendo o sacripanta Gilmar Mendes, Presidente do Supremo Tribunal Federal – STF que em outras coisas adora soltar desabonados corruptos, como o versátil Daniel Dantas – o empresário.

É a Globo e a Revista Veja fazendo uma campanha chata, querendo nos incutir que o estado de direito corre perigo no Brasil, façam-me o favor...

Há tempos observo o que é falado em relação ao Presidente da Colômbia, Álvaro Uribe. Para essa mesma mídia golpista , o homem é o melhor administrador e mais democrático presidente da AL. Pra quem não sabe o senhor Uribe tenta um terceiro mandato consecutivo para permanecer representante de Washington D.C – não confundam com aquele perna-de-pau do Flu.

O emérito dirigente colombiano é acusado de favorecer grupos de extermínio que são conhecidos como os paramilitares, a milícia de lá. Por aqui, não se sabe não se conhece e não se apura nada sobre isso. Creio que seja uma forma de botar a sujeira debaixo do tapete. Afinal, nos dias de hoje a questão ideológica se tornou uma bandeira para a mídia neoliberal.

Ah, já ia me esquecendo. Neste início de setembro, o governo americano anunciou um pacotão para sanear o sistema financeiro, que anda abalado devido a crise das hipotecas. As empresas Freddie Mac e a Fannie Mae receberam uma bolada total de U$ 200 bihões. Como foi o governo do Tio Sam que tomou tal atitude, ninguém fala ninguém viu. O tratamento da notícia vem com o discurso de saneamento do sistema, para manter a liquidez do mercado – é economês mesmo.

O engraçado é que quando Chapolim da Venezuela encampou alguns poços de petróleo, os defensores e guardiões do neoliberalismo chiaram à beça. Da mesma forma, quando o índio maluco da Bolívia tomou a refinaria da Petrobrás.

Querem mais um exemplo? Basta lembrar a campanha contra a formosa Cristina Kirchiner, Presidenta da República de Argento, quando estatizou a falida companhia aérea, Aerolineas Argentinas.

Enfim, existe um tratamento diferenciado quando se trata de notícias negativas vindas do mar do norte, capricham no eufemismo. A mídia golpista é isso aí, dois pesos e duas medidas.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...