segunda-feira, 12 de setembro de 2016

O homoneoliberalis, o ‘você S/A’



Há tempos digo que nos dias atuais está sendo desenvolvido o “homoneoliberalis”. Um ser moldado a entender que o neoliberalismo não é somente uma doutrina econômica ou ideológica a ser seguida por estados, governos e empresas.
  O conceito se aprofunda na sociedade de uma forma difusa e cultural, se estendendo até às relações sociais. O “homoneoliberalis” é o sujeito empresarial, aquele que leva a sua vida utilizando pressupostos de uma empresa, ele é uma empresa. Nesse mundo empresa suas relações pessoais e interpessoais se pautam pela lógica de resultados, custos e eficácia. Assim é na vida escolar e profissional, vida sexual e afetiva, e assim por diante. É o mundo liquido tantas vezes descrito nas obras de sociólogo Zigmunt Bauman.

Tudo a ser feito em vida deve seguir como um “investimento” em um processo de desvalorização do eu, sobre o qual o indivíduo é inteiramente responsável.
Na vida profissional esse sujeito abre mão do seu tempo – lazer e família - em troca de um comprometimento com a empresa a qual vende sua mão de obra. Ao “vestir a camisa”, o “colaborador”, nome atualmente usado para denominar o trabalhador, se vê na condição de abrir mão do seu bem estar em detrimento da empresa. A sua carreira é a meta mais importante de sua vida. Se for descartado do processo ele se conforma e se questiona se poderia ter trabalhado e se comprometido mais para com a empresa, apesar de ter sido precarizado. Esse mesmo sujeito ainda pode desenvolver um sentimento de baixo estima, caindo em depressão. Logo, a partir de si próprio, se considera  um perdedor.

Ainda na vida profissional o “homoneoliberalis” abdica de sua condição critica no seu entorno de trabalho. Ele considera colegas de trabalho potenciais inimigos na dinâmica da concorrência interna que o faz competir na busca em viabilizar um melhor salário e destaque hierárquico, não questionando de forma nenhuma ordens, tarefas e políticas da empresa, desconsiderando totalmente qualquer tipo mobilização e agrupamento que remeta pratica sindical.


Todas essas premissas são preconizadas através da indústria cultural, mais precisamente a partir da grande mídia. Aqui no Brasil, por exemplo, temos o Instituto Millenium, uma entidade com 10 anos de atividades, que propaga o pensamento neoliberal, a partir de mantenedores e parceiros do mercado de comunicação como a Editora Abril, o Grupo Estado, RBS e organizações Globo, entre outros. Para colocar essa ação em prática são utilizados espaços em veículos de massa como a rádio CBN, como programas da sua grade voltados para apoio a empreendedores, disseminando assim o neoliberalismo nas ondas do rádio. Isso sem contar na TV a Cabo como o canal de informações GloboNews.
Os pensadores franceses Pierre Dardot e Christian Laval em ‘A nova razão do mundo’, obra que passa a limpo todos os lugares-comuns sobre a natureza do capitalismo contemporâneo, fazem uma analise e retratam bem essa sociedade contemporânea, e citam um hit da banda inglesa ‘Queem’.
“‘We are the champions’ [Nós somos os campeões] – esse é o hino do novo sujeito empresarial. Da letra da música, que a sua maneira anuncia o novo curso subjetivo, devemos guardar, sobretudo esta advertência: ‘No time for losers’ [Não há tempo para perdedores]. A novidade é justamente que o loser é o homem comum, aquele que perde por essência. De fato, a norma social do sujeito mudou. Não é mais o equilíbrio, a média, mas o desempenho máximo que se torna o alvo da ‘reestruturação’ que cada indivíduo deve realizar em si mesmo.” - diz o trecho do livro.

A meritocracia é o termo que ele mais reverencia para justificar o sucesso do individuo. Ele ainda acredita que o chamado estado social não é capaz de incorporar a maioria dos excluídos da sociedade através de programas e políticas sociais. Minimiza a importância da igualdade de gênero e direitos LGBT. O “homoneoliberalis” entende que a pobreza é um processo natural da condição humana. A partir de seu “darwinismo social”, a sociedade passa por um processo de seleção natural entre os indivíduos que buscam um melhor posicionamento social econômico.




Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...