terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Quando um petroleiro incomoda a direita

Parece que após lançar o livro ‘A outra face de Sergio Moro’, na última sexta-feira (6), o petroleiro Emanuel Cancella, coordenador da Secretaria Geral  do Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro (SINDIPETRO-RJ) e coordenador da Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) incomodou  setores da  “honesta” direita brasileira que endeusa o juiz federal da “República de Curitiba’ , responsável pela Operação Lava Jato.



Nesta terça (9), o ex-deputado federal Roberto Jefferson, isso mesmo, aquele envolvido e condenado pela AP 470 por crime de corrupção ativa e lavagem de dinheiro postou em seu Twitter comentários tentando desqualificar o conteúdo do livro de Cancella, mesmo sem ter lido uma única linha da obra. “Em seu livro, o cara do Sindipetro diz que a Lava Jato fez da economia terra arrasada e produziu milhões de desempregados. O livro é cômico?” – disse entre outros posts . Na verdade, o próprio comentário de Jefferson é cômico quando parte de alguém com as mãos sujas e envolvido até o pescoço em falcatruas nos Correios.


No livro, Cancella cita que os desdobramentos das investigações paralisaram as cadeias produtivas  da indústria do petróleo e naval, provocando fechamento de empresas de engenharia e estaleiros, colocando na rua mais de dois milhões de trabalhadores.

Não bastasse o arroubo de Roberto Jefferson, o blog assumidamente de direita  ‘O Antagonista’, editado pelos jornalistas  Diogo Mainardi e Mário Sabino, também postou ontem (9) conteúdos que tentam desqualificar ‘A outra face de Sergio Moro’ ao qualificá-lo como esdrúxulo e desonesto. Ora, se os citados editores nem sequer leram o livro e tecem criticas deste tipo acabam por praticar desonestidade intelectual ao desmerecerem uma obra que nem sequer leram. Em outro texto ‘O Antagonista’ pergunta: “Onde estava Emanuel Cancella e o Sindipetro, enquanto a Petrobrás era estuprada coletivamente pelo PT e seus aliados?”

.
Aliás, o jornalista Mainardi poderia consultar seus colegas de bancada, Caio Blinder e Lucas Mendes, no programa ‘Manhattan Connection’, exibido na ‘Globo News’ sobre as denúncias há tempos feitas pelo falecido Paulo Francis durante o período do “tucanato” em que afundou a plataforma P-36 e quase mudaram o nome da Petrobrás para “Petrobrax”.

É bom lembrar que o SINDIPETRO-RJ desde a época de FHC, passando pelo período de 13 dos governos do PT, denuncia irregularidades na Petrobrás, e que nunca teve espaço na mídia hegemônica para dar voz aos seus reclames de desmandos na companhia. Por isso, os seus diretores sofreram processos e até ameaças de prisão. Tudo isso  ainda na época de Paulo Roberto Costa e asseclas. Basta uma pesquisa na internet para verificar isso. 

Fonte: Agência Petroleira de Notícias - APN
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...